blogando

Profilema - fico ou saio?

há 7 semanas

“Devo ficar ou devo sair”

 

Quando o fim de semana ou uns dias de férias estão prestes a finalizar e nos vemos perante a inevitabilidade de no dia seguinte nos termos de arrastar durante mais cinco dias para uma função que não nos desafia, para um ambiente que não nos valoriza ou para um chefe que não nos respeita, lá sobe aquele pensamento. Será que devo ficar ou está na hora de partir para outra?

Nós gastamos cerca de 80.000 horas da nossa vida em actividades profissionais. É tempo de mais para não meditarmos bem na importância que essas horas têm na nossa vida enquanto seres humanos. É verdade que o fazemos porque necessitamos do dinheiro, mas também não é menos verdade que a vida tem coisas muito mais importantes que o bem estar que o dinheiro nos pode proporcionar.

A possibilidade de mudar de emprego traz consigo dois sentimentos profundamente contraditórios. Por um lado, o receio humano de tudo o que é desconhecido e que muitas vezes nos leva a realçar as insuficiências e os aspectos menos bons das oportunidades que surgem. Pelo menos aqui sei com o que conto! Por outro, a excitação do tudo o que é novo. O entusiasmo de começar um novo projecto, a curiosidade de adquirir novas competências, a agitação de conhecer novas pessoas. Quem não chuta à baliza não marca golo!

Qual a melhor atitude? Depende de si e só você pode tomar a decisão, até porque as consequências (boas ou más) é você que as vai sentir na pele. No entanto, se as oito horas que consumimos no trabalho, mesmo seguras e razoavelmente pagas, tornam as restantes dezasseis infelizes e miseráveis, então continuar como estamos não é opção. Só nos resta mudar tantas vezes quantas forem necessárias para encontrarmos um trabalho que contribua para a nossa felicidade e daqueles que nos rodeiam.

A maioria das pessoas elege o conforto, a segurança e o salário como os três aspectos profissionais mais relevantes. Nada mais errado, estes três aspectos por si só têm uma importância diminuta. Aquilo que verdadeiramente contribui para felicidade das pessoas é o significado daquilo que faz, aliado ao entusiasmo com que se “vive” cada projecto e á possibilidade de partilha com os outros. Normalmente quem vive com entusiasmo também é pago com entusiasmo.

Contudo mudar de emprego é uma decisão muito importante e como tal deverá seguir as regras duma boa tomada de decisão: Recolha de informação; Identificação e análise de diferentes alternativas; decisão; Planeamento e implementação.

Na recolha de informação é importante estudar as oportunidades internas e também como está o mercado. Podemos mudar sem sair da nossa empresa. Quanto a alternativas, há que ter uma visão realista mas abrangente. Pode ser na mesma função ou noutra profissão, no mesmo país ou noutro, como trabalhador por conta doutrem ou iniciar o seu próprio negócio, etc. A decisão é em geral o momento mais stressante, mas coloque o pior dos cenários e vai ver que mesmo que as coisas corram mal, você tem sempre outras alternativas que são melhores que a situação actual, por isso, se for esse o caso, chute à baliza sem receio. Por ultimo, planeie bem e com tempo e implemente ainda melhor.

Por ultimo, é a si que compete tomar esta decisão, porque se você não o fizer, outro o fará por si.

Luanda, 17 de Maio de 2009-05-17

José Bancaleiro

Deixe o seu comentário:

A sua identificação:
Nome:
Email: