blogando

"Shit!!!"

há 38 semanas
"Shit!!!!" Exclamou Edward, não se conseguindo conter perante o que lhe acabavam de contar.
Sentia-se responsável pelo impacto negativo que aquela notícia iria, seguramente, ter! Richard tinha sido desde início uma forte aposta sua. Tinha sido ele, Edward, na qualidade de HR VP Europeu da SpencerBell, que o tinha identificado como um "high flyer" e que tinha investido nele, acreditando que ele tinha tudo para se tornar num futuro quadro de topo da Empresa.

 para ler mais...

 

clique para ver
o artigo completo
Comentário de Laura Falagueira:
O Senhor Director Geral apoiado pelo Sr. Edward juntamente com a sua visão pequenina conseguiram vender a melhor peça que tinham em casa e não é que ainda conseguiram perder valor lucro e continuaram infelizes...

Shit

2016-12-30 15:14:38
Comentário de Luis Moisés:
Alguém que não saiba apreciar e desfrutar do portuguese way of life não pode ser de confiança... :

2016-12-30 15:26:49
Comentário de Paulo Félix:
Estória interessante e relativamente comum em áreas de engenharia por exemplo de diversos setores de atividade.
E como em estórias anteriores nem sempre é uma que questão de vil metal .
Para já não falar nos executivos de topo que se mudam para a concorrência sabendo das estratégias das empresas onde estavam.

2017-01-02 10:59:41
Comentário de António Fernandes:
Estória que retrata a não lealdade mas também o Reconhecimento ou neste caso a falta do mesmo.
Infelizmente são temas muito presentes nas organizações.
Mas diria que acontece muitas vezes parte a parte.
Em meu entender são características muito ligadas ao carácter de cada um
Nas Empresas temos de estar sempre preparados para Estórias destas
De uma forma ou de outra já conhecemos casos similares ou dito de uma outra forma: Já vimos este filme

Bom Ano Novo




2017-01-02 14:35:30
Comentário de Pedro Morais Fidalgo:
Será que há responsabilidades por repartir pela Direção HR e próprio colaborador na integração? O Fizerem para que funcionasse?
Na perspetiva da empresa que estratégias tem a empresa para mitigar este risco?

2017-01-03 11:17:23
Comentário de Preciosa Miambo:
Estória interessante. Sem deixar de lado o principio da lealdade julgo ser um bom exemplo para repensarmos nas estratégias de gestão da mobilidade vs adaptação cultural dos nómadas.

Parabéns José pelo artigo. Votos de um 2017 de contínua inspiração e de partilha de estórias vividas .

2017-01-03 12:02:48
Comentário de PAULA GONÇALVES:
São tantos os valores e as lições que se podem retirar das entrelinhas deste texto...
É importante que o colaborador se interesse pela cultura organizacional é importante que faça um esforço por se integrar assim como é fundamental que a organização o acolha o apoie reconheça e valorize o seu potencial.
Não deixe de partilhar estas pérolas Professor.
Bom Ano

2017-01-03 16:46:21
Comentário de CH:
O foco central é sempre o mesmo O problema dos maus gestores é terem receio de serem ultrapassados por novos talentos...em vez de quererem aprender com eles

2017-01-05 15:25:45
Comentário de Makiese de Carvalho:
Ufff ... a questão poderia ser resolvida de uma outra maneira O Sr. Director Geral fazendo da sua mesquinhice um Hobby acabou por perder um grande profissional.

Um bom ano para si e família

2017-01-10 15:53:26
Comentário de Mário Cavaco:
Caro José
espero que se encontre bem.

Muito obrigado por nos fazer refletir em mais um brilhante artigo.

No meu ponto de vista trata-se claramente de cultura de envolvimento versus lealdade.

Neste sentido e a titulo de comentário/ formação lanço o desfio a todos os leitores deste artigo incluindo o próprio autor - Dr.José Bancaleiro a refletirem também nestas breves palavras ...

Os colaboradores podem escolher envolverem-se ou não.
O papel do líder é trabalhar ativamente e intencionalmente
para criar a cultura de envolvimento.

No desafiante mundo de negócios dos dias que correm as organizações são impelidas a proporcionar uma experiência verdadeiramente diferenciadora e entusiasmante aos seus clientes internos e externos.
Sendo o resultado a sobrevivência ou a prosperidade.

De facto várias são as empresas que já estão a desenvolver iniciativas e
estratégias para envolver ativamente os seus clientes internos e externos em verdadeiros processos de lealdade e construírem assim
laços de fidelização relações duradouras e obter um maior conhecimento das
preferências e tendências do mercado.

Por esse motivo paralelamente a criar envolvimento com os clientes externos as organizações necessitam principalmente focar-se na criação de envolvimento nos seus colaboradores e equipas sejam eles lideres de topo intermédios ou simplesmente operacionais.

O envolvimento dos colaboradores advém de duas fontes principais:

1- Eficácia da Liderança
2- Cultura de Envolvimento

1- Os líderes são os responsáveis pelo
envolvimento de todos na organização por serem capazes de que as suas equipas incutam toda a sua energia na criação de valor sucesso e lealdade.

Não se podem obter equipas envolvidas sem líderes também eles envolvidos e que sejam capazes de comunicar uma visão inspiradora e leal gerindo os seus objetivos facilitar a colaboração por toda a organização através de decisões seguras e consistentes.

2- A cultura da organização tem também uma forte influência no envolvimento dos clientes e dos colaboradores pela forma como as ações e cumprimento de objetivos são reforçadas reconhecidas e valorizadas. Não obstante líderes e colaboradores/
equipas partilham a responsabilidade por nutrir e incentivar a importância dos valores lealdade e princípios importantes para a empresa.

Aproveito a oportunidade para partilhar 7 REGRAS DE ENVOLVIMENTO PARA OS LIDERES que por vezes tenho tido o privilégio de transmitir em algumas organizações:

- EQUILIBRIO entre a Liderança - prática e a Gestão - rigor
- OUVIR e mostrar interesse nos lideres intermédios e restantes colaboradores
- APRENDER e compreender as necessidades individuais dos
colaboradores e seus lideres
- Demonstrar INTENÇÃO POSITIVA em todas as comunicações formais e
informais
- OLHAR EM FRENTE e falar com realismo positivo sobre o futuro
- ALAVANCAR e ajudar a equipa e melhorar as suas capacidades e
- LIGAR os elementos da equipa ao sucesso e expô-los a oportunidades de crescimento.

AUMENTAR O GRAU DE CONFIANÇA e LEALDADE segundo o tão conhecido Dr. Jack Gibb autor de Trust são os seis comportamentos de
liderança que ajudam a...

A- Criar a condição de não confiança / não lealdade:

- Quando pareço estar a julga-lo
- Quando crio um ar de superioridade
- Quando tenho a certeza
- Quando controlo demais
- Quando sente que estou a manipular e/ou
- Quando pareço indiferente.

B- Por outro lado aumentar o grau de confiança e lealdade:

- Quando pareço estar a ouvir para
aprender
- Quando sente que somos iguais
- Quando sou visto como mente aberta
- Quando resolvemos os assuntos juntos
- Quando sente intenção positiva e
- Quando pareço interessado nele.

SUMÁRIO PARA CRIAR UMA CULTURA DE ENVOLVIMENTO:

1- Qual é o nosso Potencial / OPORTUNIDADES

2- O quê e como / RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL

3- Chartering / Ligação

4- Política de Porta Aberta / INCLUSÃO e

5- Descobrir o que é único em cada um. / VALIDAÇÃO.


Como o José sabe poderíamos estar aqui horas à conversa mas prefiro um destes dias desafia-lo para um café ou quem sabe um workshop para podermos juntos aprofundar estes temas de forma prática e útil aos atuais gestores e lideres da nossa praça .
E dessa forma continuar o tão respeitado trabalho que o José tem realizado nos últimos anos.

Muito obrigado pela oportunidade de expressar umas breves palavras sobre o meu ponto de vista acerca do seu brilhante artigo com o qual me identifiquei tão facilmente.

Forte abraço

Mário Cavaco.

- um leitor assíduo e aprendiz dos seus fantásticos textos.

2017-03-28 04:42:51
Deixe o seu comentário:

A sua identificação:
Nome:
Email: